Total de visualizações de página

Translate

Google+ Followers

domingo, 25 de setembro de 2016

VI ONTEM O MALUCO BELEZA TOCANDO NA PRACINHA DE MORRETES - PR



E ele tem bom humor. Vejamos: Fomos ontem a Morretes-PR, cidade histórica com três séculos de existência. Na pracinha cercada de casas coloniais, feirinha de produtos típicos locais, muitos à base de banana (até cachaça de banana), turistas circulando pelo local que tem até coreto onde no passado as bandas tocavam.
Um músico tocando ao violão, músicas para os turistas. Na cabeça, um chapéu com aba e pontudo como um chapéu de bruxa. 
Umas moças param, ouvem um pouco e depois pedem uma música internacional. 
O Maluco diz sorrindo para elas: Moça, eu não sei falar nem o português direito, você quer que eu cante em inglês?
Elas então pediram "Medo da Chuva" do Raul Seixas e ele soltou a voz, ao vivo e a cores inclusive imitando a voz do Maluco original.
Até eu fui lá e deixei uns trocados para o Maluco sincero e de bom humor, aliás dois grandes predicados. 24-09-16

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

DICA DE TURISMO RURAL EM PONTA GROSSA - PR. AMORAS SILVESTRES


AMIGOS - UMA DICA DE PASSEIO PORRETA 
Como conselheiro do CREA, visitei com o grupo (21 conselheiros) uma propriedade rural exemplar em Ponta Grossa. É de um empresário belga que viveu um bom tempo em Portugal (Porto) e depois migrou para o Brasil e escolheu Ponta Grossa (clima ameno). Comprou lá uma fazenda grande e um dos seus produtos é Amora, da qual eles tem uma agroind.na fazenda que produz N produtos de amora. Plantam 50 ha. de amora, o que é uma ENORMIDADE. A dona da fazenda é uma Engenheira Agrônoma extremamente simpática e eles tem um restaurante e servem refeições a quem lá visita. Não sei se é agendado mas é só entrar no site deles. Procurar inclusive no Face por Porto Brazos. Porto por causa da cidade de portugal onde moraram e brazo que é o nome da variedade da amora que plantam lá. É aquela amora silvestre, com ramas e espinhos. Lá é nota dez e a fazenda é pegada ao asfalto e bem perto de Ponta Grossa e de quebra, é pertinho de uma gruta que ainda não visitei e se chama Buraco do Padre. Parece que as amoras começam a madurar em outubro, mas produtos prontos eles tem o ano todo em enorme quantidade e em embalagens de encantar os olhos e o paladar. Procure no face. Abraço do Cp Orlando

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

ESCRITOR GEORGES SIMENON - VASTA OBRA


Por Eng.Agr. Orlando Lisboa Almeida


Consta que esse belga é um dos escritores que mais livros publicou, sendo 192 romances e 158 novelas com sua assinatura e quase outro tanto de obras com 27 pseudônimos diferentes. Uma vez vi uma "piadinha engajada" do mundo dos leitores, segundo a qual um dia um escritor amigo dele ligou por telefone para trocar umas idéias e a secretária dele disse que no momento ele não estava podendo atender porque estava escrevendo um novo romance. O amigo disse à secretária: EU ESPERO NA LINHA.

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

CRONIQUINHA SOBRE RUI BARBOSA



Consta que além de um advogado e intelectual de alto nível, Rui era uma pessoa de baixa estatura e não era nem um pouco Brad Pitt. Era feio.
Diz a crônica que um dia ele teria ido à ETC Empresa de Correios e Telégrafos para enviar uma mensagem por telegrama que era passado em textos super curtos e transmitidos pelo sistema de Código Morse, aquele de pequenos bips mais curtos e mais longos que só os telegrafistas entendiam.
Um dos telegrafistas do correio ao ver o Rui no balcão do Correio, teria batido em código pro amigo do lado, também telegrafista: Eita cabra feio, sô!. 
Rui pegou o lapis e com o mesmo ao contrário, foi batendo cadenciado no balcão: - Sou baixinho, feio e.... TELEGRAFISTA. 
Pois é...

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

BANCARIOS EM GREVE - COM RAZÃO - SETEMBRO/2016

A LUTA DOS EMPREGADOS BANCÁRIOS
Eng.Agr. Orlando Lisboa Almeida
Fui por 40 anos empregado em bancos, sendo 4 no Noroeste, 5 no Mercantil de SP e 31 no BB. Todo ano, chega na hora da negociação salarial, o banqueiro vem com uma choradeira falando de crise aqui, crise lá fora e tudo o mais. Só que os lucros deles tem sido sempre bilionários.
Fiz uma ligeira busca no Santo Google e vejam os números que eu encontrei do LUCRO dos principais bancos apenas no Primeiro Semestre de 2016:
Itau: 10,7 bi
Bradesco: 8,3 bi
Santander: 3,5 bi
BB 4,8 bi
CEF 2,4 bi
Vejam a pedida dos bancários e a mandada dos patrões:
Os bancários pediram 5% de reajuste anual mais a inflação passada, ao redor de 9,5%.
O que os banqueiros (indecorosos) ofertaram: 6,5% (abaixo da inflação - um rebaixamento salarial real) mais uns penduricalhos que os bancários chamam de cala a boca e cujos valores não se incorporam ao salário e não contam para aposentadoria. É de deixar o pessoal irado.

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

CURIOSIDADES DO MUNDO OLÍMPICO - RIO 2016

 Há um texto de página inteira (quase, se descontar as publicidades) na Folha de SP falando de uns brasileiros que foram assistir um jogo de hockey ou algo semelhante, cujo esporte seria o mais popular na Austrália. E perto deles uns australianos fanáticos pelo esporte deles e pela sua seleção. A reportagem perguntou para uma mãe que estava com uma criancinha vendo o jogo e ela disse que não entendia nada daquilo, mas resolveu ir porque o ingresso estava 40,00 e ela e a filha queriam mesmo é ver a ginástica olimpica onde as atletas davam "aquelas cambalhotas incríveis" mas o preço era proibitivo. E a mãe disse que a filhinha estava atenta ao hockey mas reclamava que não estavam rolando as esperadas cambalhotas....
Para completar, a reportagem provocou os torcedores australianos dizendo que o futebol é muito mais emoção. Eles me saem com o que eu diria ser quase uma pérola. A diferença entre o nosso esporte, o hockey e o futebol é que no futebol os atletas jogam o tempo todo fingindo que estão machucados e no hockey os atletas mesmo machucados jogam com o mesmo vigor como se estivessem em plena forma. Mexe com quem está quieto!      

AUSTRALIANOS TORCEDORES.              08-08-16

sábado, 30 de julho de 2016

GRUPO CANTUS LIBERE - MÚSICA GREGORIANA - DE CURITIBA PR

    
                                   foto tirada por Orlando L de Almeida - com celular e sem flash

 Resido em Curitiba há três anos e meio.   Gosto muito das atividades culturais e nos locais que vou, ao assinar a lista de presença, deixo o e-mail e eles passam a enviar a programação cultural que está em pauta.    Assim fiquei sabendo da exposição A Arte do Budô e fui ver e gostei muito.   Esta se encerrou dia 24-7-16.
     Num e-mail de véspera, o Museu de Curitiba me enviou um convite para ir assistir hoje, sábado (30-7-16) um espetáculo de Música Gregoriana com o Grupo Cantus Libere com a regência do manauara Paulo Valente.
     Fui ver o espetáculo e foi de alto nível.  Oito músicos se apresentaram e cantaram uma série de canções e o Maestro, muito descontraido e bem humorado, deu uma verdadeira aula sobre esse tipo de arte.
    Cheguei a anotar algumas informações passadas por ele no contexto do tema.
     Segundo ele, o Papa Gregório, a quem vincularam o nome desse tipo de canto, historicamente não tem nenhuma comprovação que tenha criado nada nesse setor.   
     No tempo dos impérios na Europa, havia alguns que dominavam povos de variados idiomas e uma forma de "falar" a todos os dominados era usar o Latim no canto e mesmo nas missas que em geral eram cantadas.
     As missas eram cantadas porque era uma forma de atingir mais pessoas num ambiente amplo numa época em que não havia alto falantes.
     O canto gregoriano e a presença masculina.    Ele lembra que na igreja católica historicamente à mulher não era permitido ajudar nos oficios religiosos.   Quem frequentava o altar era o padre e seus auxiliares, sempre do sexo masculino.   
     Aquela música Kyrie eleison (em grego: Κύριε ελέησον, transl. Kýrie eléison, "Senhor, tende piedade") segundo ele é de origem pagã e não religiosa.
    Lembrou que o Imperador Carlos Magno era analfabeto.     Disse que nos tempos medievais era bem pouca gente que sabia ler.    Aprender música na igreja e o latim para os cantos era uma forma de aprender ler e dominar um idioma importante no Império.   Tanto que muitos começavam na música e acabavam sendo recrutados para trabalhar para o Estado.
     Sobre letras de músicas gregorianas em português ele defende que é algo meio fora de contexto histórico.    Seria como um artesão passar hoje a entalhar obras de arte no estilo barroco fora da época em que aquilo era da cultura do momento.
     O canto gregoriano sofreu inclusive influência da música celta.
     O uso de orgão para acompanhar musica sacra teria ocorrido depois do ano 1.200 porque no tempo do Império Romano o orgão era usado nas arenas para animar os espectadores entre as lutas.   Ficou então vinculado a combates e mortes crueis.  
     O Grupo Cantus Libere tem inclusive página no Facebook.       Muito legal.

(tenho também o blog de resenhas de livros e palestras -    www.resenhaorlando.blogspot.com.br )